O sítio do INA utiliza cookies para melhorar o seu desempenho e a sua utilização. Os cookies utilizados para as ações essenciais do sítio encontram-se definidas. Consulte a política de privacidade.

Eu aceito cookies.

  • Última actualização: 20 setembro 2019

PT | ENG

Conversas sobre a Memória e o Futuro da AP

logo noticia HP“Ligar a memória da Administração Pública ao seu futuro é fundamental”, referiu o Ministro das Finanças, Mário Centeno, na primeira sessão das Conversas sobre a Memória e o Futuro da Administração Pública.

Com uma plateia de mais de cinquenta pessoas e  integrada no Mês da Inovação na Administração Pública, esta sessão que decorreu no dia 2 de julho, na Biblioteca do INA, teve como convidado Pedro Liberato, Assessor do Departamento de Relações Internacionais da Secretaria-Geral do Ambiente e Transição Energética, que partilhou a sua experiência de décadas ao serviço da Administração Pública na área do ambiente. Na sua opinião, o ambiente funciona como fator para medir o bem-estar e considera que esta área de governo tem gerido a sua atuação com rigor, mas também com moderação e cedências que incorporam outras necessidades nacionais.

Na viagem que fez pelo passado, referiu a evolução cívica sobre a política do ambiente e a importância desta para o país, para a qualidade de vida das pessoas e para a economia nacional.

As Conversas sobre a Memória e o Futuro da Administração Pública constituem um ciclo de eventos quinzenais sobre diferentes temáticas e decorrem na Biblioteca do INA, um centro de conhecimento sobre a Administração Pública “que marcou várias gerações de investigadores, trabalhadores e académicos”, conforme referiu Mário Centeno, na sessão de abertura. A partilha de conhecimento sobre o passado, com a perspetiva no futuro deve ser uma aprendizagem de trabalhadores e dirigentes, criando condições para “entregar mais e melhor valor aos cidadãos e às empresas, com eficiência e capacidade de resposta”, concluiu o Ministro das Finanças.

Neste sentido, o papel da Administração Pública é apoiar políticas transversais e colaborativas de objetivos comuns e globais para podermos inovar em função das limitações e consoante as necessidades, referiu a Secretária de Estado da Administração e do Emprego Público, Fátima Fonseca, na sessão de encerramento.

Para Fátima Fonseca “ser inovador é ser empreendedor” e a Administração Pública tem todas as condições para preparar as exigências do futuro, basta acreditar e ter as ferramentas e a coragem para o fazer.

A próxima sessão das Conversas sobre a Memória e o Futuro da Administração Pública está marcada para dia 17 de julho às 16h30, na Biblioteca do INA. Consulte aqui o programa.

 

 foto conversas 1 foto conversas 2 
 foto conversas 3  foto conversas 4